Mande sua mensagem também nas redes sociais.

Atividade Parlamentar

Assembleia entrega título benemérito a coronel da PM

postado em 23/09/2016 10:09

O ten cel PM Valter Santos de Araújo, recebeu na manhã desta quinta-feira (22), durante sessão especial realizada no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia, o título de cidadão benemérito da Liberdade e Justiça Social João Mangabeira. Uma honraria entregue a cidadãos que se dedicam a causas sociais no âmbito da Bahia.

De acordo com o deputado Roberto Carlos, proponente da homenagem, a história de vida do Sr. Valter Santos de Araújo se confunde com a criação da Companhia de Polícia de Ações em Caatinga (CPAC). “Com o aumento da criminalidade no sertão da Bahia, foi criada a Companhia de Polícia de Ações em Caatinga (CPAC), que teve como primeiro comandante o então Capitão da PM, o Sr. Valter Santos de Araújo, designado para a missão, devido ao trabalho de referência no combate ao narcotráfico quando no comando de 25ª Companhia Independente de Polícia Militar, nos municípios de Casa Nova, Pilão Arcado e Remanso”, disse o parlamentar.

DSC_11

A história de vida do Sr. TC PM Valter Santos de Araújo se confunde com a história do combate ao banditismo no sertão nordestino, e tem sua força no período compreendido entre 1920 e 1940, tendo como destaque os grupos armados denominados “cangaceiros” que tinha como principal característica a forma violenta com que perpetravam suas ações contra suas vítimas nas cidades que invadiam. Nesse período destacamos as quadrilhas de Antônio Silvino; Cristino Gomes da Silva Cleto, o “Corisco”; e Virgulino Ferreira da Silva, o “Lampião”. Este último comandou um grupo que atuou por quase duas décadas, principalmente nos Estados da Bahia, Alagoas, Sergipe e Pernambuco.

Ante tal demanda, a Associação dos Prefeitos do Sertão Baiano (APSB) busca soluções junto ao Governo Estadual no sentido combater os altos níveis de criminalidade na região. As Companhias Independentes de Casa Nova e Curaçá e o 3º Batalhão em Juazeiro, apesar dos esforços, não davam conta de atender a demanda regional, exigindo uma força policial ágil e eficiente que atuasse lado a lado com o sertanejo no combate às grandes quadrilhas que começavam a se estabelecer na região.

Após algumas iniciativas, surge a criação da Companhia de Polícia de Ações em Caatinga (CPAC). Instituída por força do Decreto Estadual nº 7.926, de 18 de abril de 2001, teve como primeiro comandante o então Cap PM Valter Santos de Araújo, designado para tal mister pelo trabalho de referência no combate ao narcotráfico quando no comando de 25ª Companhia Independente de Polícia Militar, nos municípios de Casa Nova, Pilão Arcado e Remanso. Sua metodologia aliava o trabalho preventivo de cunho educacional com o trabalho repressivo na busca não só de extinguir o mal que consumia nosso sertão, mas também manter a presença policial com a criação do vínculo de confiança com as comunidades pela presença policial e as ações sociais desenvolvidas junto à comunidade.

A árdua missão se inicia com a convocação do Oficial para uma reunião em Teixeira de Freitas junto ao Comando Geral da corporação que, na oportunidade, o anunciou como Comandante da Unidade Especializada. Gestões na mobilização de recursos financeiros e do aparato logístico foram deflagradas, passando a estruturar a tropa com elementos peculiares da região: o conhecimento do terreno adquirido com o nativo sertanejo; a aplicação de técnicas policiais para o enfrentamento dos grupos de marginais e a preparação da mente e do corpo para suportar as intemperes do sertão foram elementos indispensáveis no alcance dos objetivos. Conhecer as trilhas do sertão e ter a capacidade de se transmutar na caatinga, fazendo parte dela, foram as principais ferramentas de sucesso da Unidade. A Base da CPAC foi inicialmente instituída em Barra do Tarrachil, município de Chorrochó.O trabalho de valorização do homem marca sua administração à frente da 38ª CIPM. Após cumprir seu mister em Bom Jesus da Lapa, o Comandante Geral o designa para uma missão na região que, por essência, tem domínio: O Sertão Baiano. Assim, retorna para a região norte do Estado, assumindo o comando da 45ª CIPM/Curaçá. As ações de valorização profissional marcam sua trajetória, construindo salas de aula para a instalação do Núcleo de Formação de Soldados e reforma nas dependências do quartel.A promoção ao Posto de Tenente Coronel em nada afetou a vontade de trabalhar e com o vigor de um egresso à corporação, o TC PM Valter Santos de Araújo continua empenhado no combate à criminalidade. Como “Zé Rufino” e o “Coronel Mané Neto” a frente das combativas volantes no período do banditismo dos idos de 1920, hoje o TC PM Valter Santos de Araújo trava uma verdadeira batalha incessante contra os novos “Cangaceiros” do sertão baiano. Combatente árduo contra o narcotráfico e as quadrilhas de assaltantes de banco, atua de forma implacável na busca da garantia da ordem e da segurança da população baiana.