Mande sua mensagem também nas redes sociais.

Notícias

Forrozeiros lutam para transformar o São João do Nordeste em produto turístico nacional

postado em 17/02/2016 05:02

A nata da produção cultural nordestina se reuniu nesta quarta-feira (17), com o ministro do Turismo Eduardo Alves em Brasília, para reivindicar a consolidação dos festejos de São João no calendário turístico nacional.

Os forrozeiros nordestinos marcaram presença, entre eles, Adelmário Coelho, Carlos Pitta, Zelito Miranda e Léo Macedo da banda Estakazero, Del Feliz, Alcymar Monteiro, Flávio Leandro, Flávio José, Genival Lacerda, Frank Aguiar, Geraldo Cardoso, Sandro Becker, Petrúcio Amorim, o grupo Falamansa, Geraldo Azevedo, Amorosa, Targino Gondim, Joquinha Gonzaga.

AqISfOP9EGjTzXbmT4hcqKNS10dRG06OdPjJJZnnAUsO (1)

Entre os representantes políticos, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, patrono da Lei da Zabumba aprovada por unanimidade na Alba em 2015, além dos deputados da bancada baiana na Câmara Federal, o ex-secretário do turismo baiano, Domingos Leonelli e a Senadora Lídice da Mata. “Se trata de um excelente negócio para as cidades que realizam os festejos. Representa um décimo terceiro mês de faturamento no comércio, pequenas indústrias e promotores de eventos”, ressaltou Lídice.

ApF7TYcjt7E-A-uiO6t_7wwBZBIStZWFRV0eqQDWbs98

Marcelo Nilo foi saudado pelo secretário de turismo da Bahia, Nelson Pellegrino que destacou a importância do seu empenho na preservação dos valores culturais do nordeste e da Bahia. “A promulgação da Lei da Zabumba foi um importante incentivo ao forró e outras manifestações musicais e artísticas regionais”, alegou.

Ao1eWa3wj8NL9g8DBnF8iqVSWDHGR3IDtHlp53pc53rj

“Esse projeto vem fortalecer tanto o trabalho dos forrozeiros que estão aqui que tem suas carreiras consolidadas, quanto dos músicos que ainda não tem recursos e muitas vezes tocam de graça, apenas em lugares remotos”, explicou o líder do legislativo baiano. Nilo considera o São João um evento de importância ainda maior do que o Carnaval pelas suas características como geração de renda e emprego além de enaltecer valores culturais que precisam ser preservados. “O forró é um produto cultural do nordeste e nós queremos fortalecer cada vez mais esse patrimônio”.

AtXGh6q3Wv6M6jTcpYtaBiY2e0nAyZlYWeHA_AT2spDD At1UzI3H37O1V4LZ9Dt-W68g14B8zMU0jSSrmFAAm86j

O ministro garantiu que fará uma pesquisa sobre os números do São João do nordeste e assegurou que os festejos devem entrar para o calendário nacional como um dos principais eventos. “Juntos, transformaremos o São João do Nordeste, no São João do Brasil”.

O projeto São João do Brasil visa dimensionar as festas juninas do nordeste como um novo produto turístico para o inverno brasileiro e suas possíveis projeções nos mercados nacional e internacional. O objetivo é também, a médio prazo dar ao São João “status” semelhante ao carnaval e unir culturalmente o Brasil com um produto turístico que abrange todas as classes, todas as faixas etárias e todas as regiões do país.

Entre as primeiras medidas anunciadas estão a realização em Brasília do Salão Luiz Gonzaga de turismo, que irá reunir o trade, operadores, promotores, artistas e imprensa de todo o país, no mês de maio, além do direcionamento de R$ 13 milhões para a promoção da festa nordestina dentro e fora do país. Além disso, com o objetivo deconsolidar a imagem da celebração como força cultural no país, haverá a instalação de um palco dedicado ao forró na Casa do Brasil, espaço no Rio de Janeiro destinado para visitantes durante a Olimpíada. 

Ant5e__dmXnHneGm-rteeZf_ZJN2kwTM1wRtYZ-vGV9N